Pular para o conteúdo principal

O fato e a lenda


Os contos de fadas constituem uma variação do conto popular ou fábula.  Têm uma narrativa curta, cujo enredo nasce partir de um motivo principal, o qual é desenvolvido procurando transmitir conhecimentos e valores culturais,  de geração para geração.
Normalmente, o herói ou heroína, é do bem,  tem que enfrentar grandes obstáculos antes de triunfar sobre  o mal.
Começam,  não raro com a expressão: ‘Era uma vez”. Esse ‘Era uma vez’  estabelece que os temas não se referem apenas ao seu presente (tempo e espaço), mas sim que os personagens e situações colocados fazem parte do cotidiano e do universo individual do leitor, com seus conflitos, medos e sonhos.  Neles são comuns situações que fazem parte do universo de cada um. Apresentam conflitos de gerações, a dificuldade da convivência entre crianças e adultos, as etapas da vida (nascimento, amadurecimento, velhice e morte), bem como sentimentos (amor, inveja, ódio, amizade). A proposta é oferecer uma explicação do mundo, da vida, e apresentar formas de se lidar com situações a que todos estamos sujeitos.
Também é comum nos contos a prática de algum tipo de magia, metamorfose, ou encantamento e, apesar do nome desse tipo de literatura – Contos de Fadas -, animais falantes são muito mais comuns do que as fadas propriamente ditas.  Alguns exemplos: "Rapunzel", "Branca de Neve e os Sete Anões" e "A Bela e a Fera". Isso tem sentido considerando que a psicologia explica que cada tipo de  animal pode representar um determinado tipo de comportamento humano. Por exemplo:
Leão, Tigre, Leoa, Onça
Quem se identifica com esses animais, os felinos de grande porte, tem um perfil forte de liderança, um perfil agressivo. São pessoas que tomam a dianteira dos problemas e que gostam de liderar e direcionar equipes
Pássaro, Ave
São pessoas de um perfil flexível e que se adaptam bem a mudança; que prezam muito a liberdade e que se dão bem em atividades  que demandam uma certa dose de criatividade.
Águia, Falcão, Gavião  ( grandes pássaros caçadores )
Tem algumas características dos grandes felinos e algumas características dos demais pássaros, além de ter um certo espírito de liderança (afinal a águia é forte, caçadora, independente ). Também preza a liberdade e gosta de um ambiente criativo.
Cachorro, Urso, Cavalo
Quem se identifica com os cães, ursos e cavalos em geral são pessoas esforçadas e sóbrias. Quem tem este perfil psicológico é confiável e busca sempre fazer o melhor, visando sua superação. Não tem um perfil forte para liderança, mas atuam muito bem em supervisão.
Gato
Quem gostaria de ser um gato, em geral são pessoas inteligentes, mas que não tem a mesma capacidade de esforço da personalidade do cachorro. O principal atributo de quem se identifica com os gatos é a inteligência e capacidade de adaptação a situações ruins.

Entre os grandes autores, além do irmãos Grimm, encontram-se o francês Charles Perrault, que deu vida à Chapeuzinho Vermelho, Bela Adormecida, Pequeno Polegar e Gato de Botas; Andersen, que nos presenteou com a história do Patinho Feio; Gabrielle-Suzanne Barbot, a Dama de Villeneuvee com a Bela e a Fera e Charles Dickens, com o Conto de Natal e a história de Oliver Twist. No Brasil, a maior conquista foi Monteiro Lobato, cuja a obra ainda hoje serve de base ao início literário de muitas crianças.
Esses contos, via de regra,  têm finais felizes. “A princesa se casa com o príncipe, e viveram felizes para sempre”, por exemplo. É aí, é a partir desse momento, que há a ruptura entre a ficção e a realidade. Todos sabemos que nem sempre é bem assim –existem os finais felizes, mas também os infelizes.  Entretanto,  considerando que  as mensagens básicas:
  •  ‘Como é bom ser bom. ‘
  •  ‘O bem sempre prevalece sobre o mal.’
  •    ‘O mal é feio.’  (pois é quase sempre representado por alguém de má aparência, traiçoeiro, mentiroso, antipático, ...), etc.

já foram passadas, porque entrar na realidade comum do dia a dia de cada um? Não iria levar a nada, a não ser tirar a magia daquele mundo, daquela dimensão maravilhosa, a que fomos levados por algum tempo. Certamente, as lendas criadas pelos contos de fadas, são muito mais interessantes do  que as histórias do mundo real.
Esse fato nos reporta a uma frase muito citada e praticada no mundo editorial jornalístico,  e que é quase tão famosa quanto esses contos tradicionais. Ela pontifica:  

 'Se há um fato e uma lenda, imprima-se a lenda.'

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,