Pular para o conteúdo principal

Como o Tempo Passa


Para as pessoas muito jovens e para os mais idosos, as horas passam muito devagar. Entretanto, os anos passam voando.

Essa percepção da passagem do tempo é mais sentida quando não se tem muito a fazer. Quando se está envolvido em alguma tarefa ou missão, parece que passa mais rápido. A explicação é que as atividades a que nos dedicamos nos distraem  acabamos por não ver o tempo passar.  

Será que deveríamos ter menos atividade para aproveitar melhor o tempo da vida?  O tempo, certamente. Porém, a vida não. O aproveitar a vida está exatamente em fazer coisas: viagens, relações, construção de nossa história, aprender, ensinar, etc.

Quanto mais fazemos, mais fácil fica fazermos, de forma que no final nem nos distraímos mais com os detalhes, antes tão trabalhosos e importantes. Com a experiência, aproveitamos mais os fatos novos que surgem quando estamos em ação, quando nos expomos, justamente porque podemos nos ater ao fundamental ao invés de perdermos tempo com o trivial.   

Outra coisa interessante é, quando vivemos, criamos histórias que ficam para nós mesmos ou que podemos contar para os nossos. São as nossas histórias que definem quem somos como indivíduo, que marcam a nossa presença em relação aos demais, às situações, enfim ao mundo.

Muitas vezes podemos achar que estamos perdendo tempo quando ficamos na janela, por exemplo, olhando o tempo passar. Entretanto, pode ser que não. Todos precisamos ter momentos de calma, de tranquilidade, para podermos refletir sobre os nosso caminhos, as nossas escolhas, o nosso passado e o nosso futuro. E um momento de recarga, de atualização da nossa ‘placa mãe’. São esses momentos que nos permitem corrigir o rumo e otimizar a nossa performance, evitando esforços desnecessários, erros prováveis. Em fim a ter uma vida melhor.

Importante saber e aceitar que o tempo é nosso amigo, não nosso inimigo, se soubermos viver todos os momentos da melhor maneira. 

Como diz a famosa música ‘As Time Goes By’, de Herman Hupfeld,  1931,  tema do filme ‘Casablanca’ :

 

You must remember this

A kiss is just a kiss, a sigh is just a sigh.

The fundamental things apply

As time goes by.

 

 



 

(JA, Abr14)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,