Pular para o conteúdo principal

Novo Caminho


  
Oswaldo, num determinado momentos da sua vida, sentia que estava saindo da luz e entrando na escuridão. As coisas tomavam um rumo que independia do seu controle, e o levava de uma situação estabilizada para uma outra, que era muito pelo contrário.
Nessas ocasiões, procurava ser otimista, acreditar que tudo daria certo no final, e agir de acordo com o esperado para superar o que tivesse que ser. Sempre dera certo. Porém, a partir de uma determinada época, deixou de ser.  Estava difícil manter a fé - ele só conseguia por não ter uma outra melhor opção.
O que mais o incomodava nessa situação é que as pessoas, principalmente as mais próximas, consideravam que era sua a culpa pelo estado em que se encontrava. Isso era explicável considerando a sua origem e tudo o que havia conquistado durante a sua vida, criara nas pessoas uma alta expectativa em relação a ele. Além disso, era o responsável direto ou indireto, pela vida de muitas pessoas. Elas não tinham culpa! Mas, pensou, ele também não!
Oswaldo sofria também o incomodo da solidão, e da falta de carinho.  Sofria calado para não comprometer ainda mais -  mas não era fácil. Sentia-se sozinho, abandonado. O que fazer? Uma opção que encontrou foi procurar fazer coisas construtivas e prazerosas que estavam a seu alcance. Isto o mantinha ocupado, o distraia, e o ajudava a evitar a depressão eminente. Queria ganhar tempo, e se manter preparado, pra quando surgisse alguma nova oportunidade, uma nova luz.
Um dia, leu uma frase que o marcou - parecia que havia sido feita para ele:
‘Quando você está seguindo um caminho que não o está levando a lugar nenhum, ou para onde você queira ir, mude o caminho!’
Perfeito. Mas, qual caminho, então?
Enquanto não surgia nenhuma ideia, se dedicou a resolver os problemas, à medida em eles fossem surgindo, da melhor maneira. Nisso ele era bom. Afinal, durante toda a  sua vida profissional passou o tempo todo fazendo isso.  Nas empresas, poucas vezes você tem oportunidade de mudar toda uma estratégia - 98% do tempo é gasto tentando manter e cumprir a estratégia original, atual.  Além disso, para reduzir a ansiedade, evitava se preocupar com problemas  que ainda não haviam ocorrido. Adotou como lema limitar a se concentrar no que estava fazendo, no que estava acontecendo – naturalmente, sem deixar de considerar suas limitações atuais.
Aos poucos, foi ficando mais calmo, e passou a enxergar um pouco de ‘luz’. Parecia que o mundo estava, novamente, conspirando a seu favor. Pequenas oportunidades foram surgindo e, inconscientemente, seu comportamento foi mudando, as pessoas se reaproximando. Oswaldo passou a sentir e inspirar calma, segurança, competência.
Refletiu que  quando tudo está ruim, pior fica. E, quando está melhor, melhor fica. Se a sua bússola aponta para determinado lado, e você continua a seguir aquele rumo, você vai chegar lá.  Fazia sentido.
Então, concluiu que, em situações de crise, é fundamental se reorientar e se empenhar para seguir um novo rumo, e superar aquele momento. Então, pela  determinação e com um pouco de sorte - atraída pela energia positiva-, se conseguirá chegar, alcançar, o seu melhor destino.
Hoje, Oswaldo se encontra onde ele nunca imaginou que poderia estar. É uma situação completamente diferente da que ele estava acostumado, mas não sente falta nenhuma da vida anterior. Esta nova fase foi construída com muita dedicação e amor, e ele a desfruta com prazer. Isto não impede que, às vezes, fique em dúvida se tem o direito de ter tudo isso que dispõe agora, e de ter chegado e estar aqui.  É, algumas coisas são inexplicáveis.
As pessoas que convivem e dele dependem, consideram a situação atual muito natural. Na verdade, embora tivessem se sentido um pouco frustradas num determinado período, logo se recompuseram quando ele encontrou o novo caminho. Afinal, sempre acreditaram, e não esperavam nada diferente dele.  

“Se estiver passando pelo inferno, continue caminhando.”   Winston Churchill 



(JA, Out17)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,