Pular para o conteúdo principal

Educação - Problema ou Solução






Também estudei em escolas públicas. E, na época, alguma delas, eram de melhor qualidade que muitas particulares. Entretanto, houve um processo de deterioração durante as últimas décadas. Como resultado, hoje, de modo geral, as EP têm uma péssima qualidade.  O que fazer para melhorar?

A maioria das Escolas Públicas, mesmo que sua direção seja muito bem intencionada, não conseguirá alcançar um bom desempenho  por dispor de professores mal remunerados e, consequentemente, de baixa qualidade. E, além disso, instalações e equipamentos precários ou desatualizados. Qualquer política governamental na área da Educação, por melhor que seja, muito provavelmente sofrerá descontinuidade em algum momento, principalmente em épocas de crise.  Cada governo que entra tem a sua prioridade, e falar que a Educação deveria ser a principal, é lugar comum, mas quase nunca percorrido.  

Conheci em São José dos Campos o Colégio Juarez Wanderley, em Eugênio de Melo – São José dos Campos-SP. Esse colégio foi criado em 2002 pela Embraer, sua mantenedora, para atender alunos do Ensino Médio. Seus alunos são selecionados entre os melhores alunos do Ensino Secundário das escolas públicas da região do Vale do Paraíba (São José dos Campos, Jacareí, Caçapava e Taubaté). Ele é gratuito – considerando a baixa renda dos seus alunos-, é superequipado, e os alunos estudam em período integral. Casos o aluno seja de outra cidade, tem estadia garantida. Ao se formarem no Ensino Médio, os alunos podem se candidatar para trabalhar como estagiários na empresa mantenedora. A qualidade do ensino prestado é atestada pelo alto índice de aprovação de seus alunos na prova anual do Enem  -1º. lugar no Enem na região do Vale do Paraíba.




Numa situação como a que nosso país está passando atualmente – economia desaquecida, alto desemprego, indústrias saindo do país -  não seria o caso do governo oferecer a possibilidade de redução de impostos para incentivar as nossas grandes empresas a fazer o mesmo?  Imagino que todos sairiam ganhando, independentemente do governo da época:

-  As escolas públicas até o Ensino Secundário seriam mais valorizadas e levadas a melhorar seu padrão de qualidade, para permitir que seus alunos pudessem  competir e conquistar vaga na Escola Subsidiada.

- Os alunos de todos os níveis teriam uma educação de maior qualidade.

- Se a Empresa Subsidiada for estrangeira, poderia implantar uma Escola  Bilíngue / internacional, estimulando os alunos a aprenderem um segundo idioma.

- Os alunos formados teriam mais facilidade para início de carreira no mercado de trabalho.

- As empresas teriam mais facilidade para contratar funcionários de qualidade, e já  inseridos na sua cultura/filosofia de trabalho.

- A redução tarifária, paralelamente, permitiria também uma redução de custos / preços finais.

- As empresas teriam uma maior margem de lucro, maior possibilidade de investir em pesquisa, desenvolvimento, investimento.

- Haveria uma redução generalizada do índice de desemprego.

- O país teria aumentada a sua atividade econômica, resultante da maior renda - tanto por parte dos  empregadores, como dos empregados.


Simples assim... É um sonho? Pode ser, mas um sonho factível.




(JA, Mar19)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,