Pular para o conteúdo principal

Vincent van Gogh – ‘Sapatos’



Vincent van Gogh, 1853-1890, Nasceu em Zundert, Holanda. Seu pai e seu avô eram pastores protestantes. Era o primeiro dos seis irmãos, dois deles foram as únicas pessoas com um relacionamento próximo Willemina e Theo, seu protetor durante toda sua vida.
O primeiro contato de van Gogh com a arte foi em Hague, quando foi trabalhar com um tio, dono de uma conceituada galeria. Foi enviado para a sede de Londres e, a solidão fez aparecer os sinais de distúrbios que o acompanharão por toda a vida.
Pouco interessado em arte e com sua atenção voltada para a religião, foi demitido e retornou para sua casa. Tentou um trabalho religioso voluntário num retorno a Londres. Por duas vezes, tentou entrar para a Universidade de Teologia, mas não conseguiu aprovação.
Por influência de Theo, van Gogh passou a levar a arte seriamente, e dedicou-se a ela com grande afinco. Foi morar com Theo em Paris e conviveu com vários artistas, entre eles Toulouse Lautrec, com quem tomou gosto pelo absinto.
Os sapatos são naturezas mortas e a maioria delas foi pintada durante sua permanência em Paris. Sobre elas opinaram Martin Heidegger com sua ‘A Origem da Obra de Arte’, o crítico Meyer Shapiro em ‘Still Life as a Personal Object’, e Jacques Derrida em ‘Restutions of the Truth in Painting’, mas sem chegar a um consenso.


A Pair of Shoes (1886) van Gogh Museum, Amsterdam. Van Gogh comprou o par de sapatos numa feira de pulgas, usou por um longo tempo e depois pintou-os. Para alguns, ele representava a dura passagem do artista pela vida. Heidegger considerou ser o par de sapato de uma mulher, coisa contestada por Schapiro.

A Pair of Shoes (1887) Baltimore Museum of Art

Shoes (1888) The Metropolitan Museum of Art, Nova York. Do lado direito do sapato há algumas linhas que são relacionadas as terríveis crises de enxaqueca sofridas pelo artista. Essa aura aparece em outras obras.

Pair of Leather Clogs (1888) van Gogh Museum. Aqui foi representado um par de sapato feminino.

Three Pairs of Shoes (1866) Fogg Art Museum Harvard University

Não houve uma conclusão sobre a intenção do artista na representação dos sapatos. Especula-se sobre a pobreza dele, que o impedia a pagar modelos, e seriam apenas naturezas mortas. Outra possibilidade seria a identidade de van Gogh com a classe operária, e os sapatos seriam a representação da vida dura levadas por ela.

Texto: Marcio Fonseca | ArtArte



(JA, Out17)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,