Pular para o conteúdo principal

Palavras


As palavras significam muito. Elas refletem o que sentimos - as nossas esperanças, realizações, frustrações, contentamento, amor, ódio, paz, guerra... E, quando escritas, deixam registrados todos esses sentimentos para serem liberados, e poderem influenciar os sentimentos, pensamentos e atitudes de outras pessoas. Pode ser no momento oportuno - quando ainda há a possibilidade de alteração da situação -, ou em uma outra época, quando então serão ouvidas / lidas sob uma perspectiva mais imparcial, histórica, mas com poder de transformação do futuro.  

Um autor quando escreve uma crônica, uma história, ele registra mais do que sentimentos. Ele registra algo que nos fará chegar a um determinado ponto, conclusão. Registra o  início, o meio e o finalmente.
As palavras, principalmente as escritas, são como pedras jogadas para compor o calçamento da estrada pela qual já caminhamos no passado, estamos caminhando, ou vamos caminhar. É descrita a partida, os meios utilizados para avançar, e como alcançamos um determinado destino.  As palavras têm sentido, e o sentido é onde elas nos fazem chegar.
Muitas vezes o autor da história não tem noção, não tem consciência, do que ele está compondo, e da importância que suas palavras terão na vida dos seus ouvintes ou leitores. Mas sempre terá.  Se todos – afinal todos somos autores e ouvintes ou leitores - tivéssemos essa consciência, o comportamento geral seria mais responsável, e o resultado final seria mais conveniente para todos.
As palavras, após terem sido faladas ou escritas, adquirem vida própria. Elas despertam sentimentos que podem levar as pessoas a agir desta ou daquela maneira. Poderão alterar os rumos da vida de algumas pessoas, de um povo, e até da humanidade. Tudo depende de como são colocadas,  do que for dito, de quem ouve ou lê, e do momento.  Podemos dizer que somos o que somos hoje, por conta das palavras ditas ou escritas, que pronunciamos/escrevemos, ou ouvimos/lemos.. Ou seja, as palavras são muito importantes.
Como educadores, quando falamos ou esrevemos, devemos nos preocupar em preparar, principalmente os jovens, a pensarem, a avaliar o meio e as circunstâncias em que vivem, e os incentivar a se manifestarem – a favor ou contra do que considerarem certo ou errado, para manter ou alterar determinada situação. Não é aceitável a passividade ou omissão, principalmente em situações de crise, que poderão comprometer o futuro do próprio individuo, dos seus, e da sua comunidade. Isto é inaceitável, irresponsável.

"Falar ou escrever é como fazer amor: você nunca terá como saber se está fazendo direito, nem como  a outra parte está se sentindo Mas, não podemos deixar de fazê-lo, sob pena de perder a razão, a oportunidade de viver o nosso momento."

 Imagem: Paul Cocksedgep - Palavras escritas


(JA, Out17)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,