Pular para o conteúdo principal

Brodowski de Portinari


Brodowski é uma típica cidade do interior de São Paulo, com praça, coreto, igrejinha e nenhum prédio. Mas uma peculiaridade é capaz de levar paulistanos a encarar mais de 300 quilômetros de estrada para conhecê-la: nasceu ali o artista plástico Candido Portinari (1903-1962).
‘Aqui, é possível entender a essência da arte dele. Foi em Brodowski que ele se descobriu artista’, diz Angelica Fabbri, diretora do Museu Casa de Portinari, localizado na casa em que ele viveu na infância e aonde sempre retornava para se inspirar.
Inaugurado em 1970, o museu é parada obrigatória para turistas e admiradores do pintor que vão ao município de cerca de 23 mil habitantes, segundo estimativa do IBGE. Suas paredes abrigam 22 obras, entre afrescos e murais a seco -19 de Portinari e três de amigos.
Em 2014, um novo afresco foi descoberto ali. A partir de um pontinho na parede, restauradores chegaram à pintura ‘Madona com Menino Jesus’. A autoria de Portinari foi confirmada por peritos.
‘Foi na casa que ele se debruçou sobre a técnica de pintura mural, deixando registrada a sua presença artística’, observa Fabbri.
A história do pintor também é contada aos visitantes por meio de jogos interativos, uma linha do tempo e roupas que ele usava quando adulto. A entrada no espaço, que pertence ao governo estadual e recebe cerca de 4.000 visitantes por mês, é gratuita.
O museu é ainda ponto de partida do passeio ‘Caminhos de Portinari’, que continua por outros cinco lugares de Brodowski que fizeram parte da vida do artista: praça Candido Portinari, igreja de Santo Antônio, coreto Lauro J. Almeida Pinto, antiga estação ferroviária e bebedouro público de animais.
Segundo levantamento do museu, a cidade e seus moradores inspiraram mais de 70 obras do artista. É o caso das pinturas ‘Casamento na Roça’, de 1944, ‘Noite em Brodowski’, de 1955, e ‘Futebol em Brodowski’, de 1958.
Na igreja, há ainda uma tela de santo Antônio de dois metros pintada em 1942 por Portinari, que não pôde ser transferida a seu pedido.
Para percorrer todos os lugares, próximos uns dos outros, leva-se em torno de 20 minutos. O caminho é indicado por meio de pegadas pintadas no asfalto. Ou seja, o risco de se perder é mínimo.
No trajeto, há ainda painéis a céu aberto de outros artistas, pintados uma vez ao ano há mais de 30 anos, numa ação do museu. ‘Acreditamos que, ao levar a arte para o espaço urbano, são criadas oportunidades para artistas e para o público, que vai desfrutar disso’, diz Fabbri.
No 104° aniversário da cidade, comemorado em 22 de agosto, começou um processo de revitalização de três pontos turísticos -a estação ferroviária, o coreto e o bebedouro- por meio de uma parceria entre a prefeitura, o museu e a marca de tintas Coral.
A proposta é pintá-los com cores semelhantes às originais, definidas após pesquisas lideradas pelo especialista em restauração e consultor do Museu Casa de Portinari Júlio Moraes. As pegadas no chão, desbotadas, também ganharão novos tons.
‘A renovação dará mais vida à cidade. Pintura desbotada não chama a atenção’, diz a professora aposentada Ana Graça Mazucato, 69. A aposentada Alice Caridade, 91, também defende a preservação dos espaços. ‘São as coisas mais ricas que ainda temos. Outras coisas do passado, como dois cinemas e um colégio, foram demolidas’.
Outra novidade para a região está em processo de gestação: o memorial Candido Portinari, projetado por Oscar Niemeyer em 2002, que deve ser construído na fazenda em que o artista viveu.
O prefeito de Brodowski, José Luiz Perez (PSDB), diz que empresários do Rio Grande do Sul buscam viabilizar o projeto por meio da Lei Rouanet. 'Em breve, eles vão procurar multinacionais e bancos para levantar os R$ 20 milhões para a construção'."

Texto: Júlia Zaremba, FSP
Imagem:  Museu Casa de Portinari, Brodowski-SP


(JA, Set17)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,