Pular para o conteúdo principal

Proclamação da República do Brasil

 Proclamação da República, em óleo sobre tela, de Benedito Calixto, 1853-1927 

A Proclamação da República Brasileira, ocorrida em 15 de Novembro de 1889, instaurou a forma republicana presidencialista de governo no Brasil, encerrando a monarquia constitucional parlamentarista do Império e, por conseguinte, destituindo o então chefe de Estado, o Imperador D. Pedro II, que em seguida, recebeu ordens de partir para o exílio na Europa.

A proclamação, ocorreu na Praça da Aclamação (atual Praça da República), na cidade do Rio de Janeiro, então capital do Império do Brasil, quando um grupo de militares do exército brasileiro, liderados pelo marechal Manuel Deodoro da Fonseca, destituiu o imperador e, assumiu o poder no país, instituindo um governo provisório republicano, que se tornaria a Primeira República Brasileira.

Antecedentes

Em uma conversa sincera com o Ministro José Antônio Saraiva (1823-1895) o Imperador Dom Pedro II afirmou que não se importaria caso o Brasil se tornasse uma República, que para ambos já era inevitável.

Em 1889 Saraiva confirmaria, certa vez, essa disposição do Imperador, dizendo ao genro de Cotegipe que o Monarca era um homem profundamente honesto: ‘se se convencesse de que o País queria a República, largaria imediatamente o trono e ir se ia embora com sua Família’.

Como, de fato, fez, sem um protesto, sem uma palavra ou sequer um gesto em favor de seus direitos de reinar. Aliás, essa tolerância sempre foi um dos traços marcantes da sua personalidade.

Um dos líderes do Partido Liberal no final do Império, e monarquista sincero, o Baiano José Antônio Saraiva, escrevendo a Silveira Martins lamentava que os políticos que tinham por dever defender e zelar pelo regime, fizessem ouvidos de mercador aos erros da política.

Em Junho de 1889, o Imperador o recebeu em Petrópolis com ‘manifesta satisfação’ (palavras de Saraiva). Fazendo-o sentar-se a seu lado, dispôs-se a ouvi-lo com toda a atenção. o Imperador tinha especial predileção pelo feitio frio e distante de Saraiva, pela sua habitual franqueza e honestidade.

Argumentava Saraiva ao Imperador, que o único remédio para obstar, ou pelo menos adiar o advento da República, perigo maior, era um programa democrático baseado na federação das Províncias que, afastando a eventualidade de um movimento revolucionário, impedisse todo abalo capaz de atingir a Nação nos seus centros produtores.

Saraiva já acreditava que o advento da República parecia próximo, e que se tornava necessário preparar o País para ela, fazendo a federação das Províncias, e que, após isso, o Imperador abdicasse a coroa. Isso evitaria a Anarquia, pois a Princesa Isabel e o Conde D'Eu não seriam aceitos como sucessores do Trono, segundo sua visão.

 

Fonte: ‘A História da Queda do Império’ | Heitor Lyra

 

(JA, 15-Nov21)

 

 





Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,