Pular para o conteúdo principal

Monte sua árvore



Tradicional árvore de natal da Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio, em 2019

Já disse que não sou nenhum super-homem, nem sou imune a depressões, ansiedades, frustrações e aflições que esta longa crise gera em todos nós.

Tem dias em que é difícil dormir. Em outros, é difícil pular da cama com entusiasmo. Mas, como digo aos meus sócios e time de colaboradores, numa crise a gente tem que se motivar em rodízio. Quando um cansa, vem outro apoiar. Numa crise tão aguda, o longo prazo pode ser o hoje à tarde. Como diz a Bíblia, cada dia com sua agonia.

Meu grupo empresarial, como todos os outros, tem focado em cortar todo tipo de gordura e custo. Isso é default, obrigatório, não se discute. Mas liderar na crise não é só isso. É mais. É animar a tropa com visão e imaginação. É, sobretudo, cuidar das pessoas.

E cuidar das pessoas não só com e-mails e WhatsApp. É preciso olho no olho, pegar nas pessoas, tocar seus corações, ouvir suas angústias, com o time sentindo que o comandante está perto do chão de fábrica.

Tenho procurado celebrar com meu pessoal cada pequena vitória diária, porque senão a gente fica se martirizando nos gols que tomamos nas tristezas e decepções dessa crise.

É isso o que estou fazendo. E, como não posso gastar dinheiro, gasto meu tempo e minha imaginação no desafio de motivar minhas pessoas.

Foi aí que veio essa ideia maluca, infantil, mas encantadora. No plano pessoal, decidi me motivar com um pequeno truque, planejando na minha cabeça onde eu e minha família vamos passar o Natal, uma festa de que tanto gosto.

E foi pensando no Natal que decidi que nesta semana vamos montar aqui no escritório a nossa árvore de Natal. Eu tenho certeza de que, ao olharem para ela, as pessoas vão tirar o coração do dia a dia das más notícias, da crise, da crise, da crise. E vão lembrar que, a despeito da crise, e de ainda ser julho, agosto, setembro, outubro ou novembro, em dezembro haverá Natal.

É uma mensagem infantil, de esperança, mas o sofrimento, a depressão e a falta de imaginação são adultos. A alegria, a fé e a imaginação são crianças. São Papai Noel e o menino Jesus. Eu quero que o meu time fique com ‘Jingle Bells’ no coração, e que esse ‘Jingle Bells’ solte as crianças que as pessoas têm dentro delas.

As crianças não precisam cortar custos pois são felizes com pouco. Elas sabem fazer de um cabo de vassoura um foguete, de uma toalha velha, uma capa de rainha.

Tenho certeza de que as pessoas que trabalham aqui no escritório vão estranhar em ver a árvore de Natal colocada no corredor. Depois, lerão o texto em que as convido a sonhar com o Natal e, por fim, ficarão com essa esperança tola e infantil no coração. E aí, quem sabe, um ou outro monte em sua casa sua árvore de Natal, comente com o amigo, faça um post sobre isso e espalhe pelo WhatsApp. E aí, queira Deus ou Papai Noel, esse troço viralize como o balde de gelo do Mark Zuckerberg.

Tudo bem, já estou exagerando, viajando na maionese. Já estou pedindo demais. Mas tenho certeza de que uma coisa a minha singela árvore de Natal vai conseguir: enquanto meus colaboradores olharem para ela, eles tirarão por um momento ao menos os olhos do dia a dia da crise e sonharão com a chegada de Papai Noel e do Natal.

Portanto, meu querido adulto, seja criança. Coloque sua árvore de Natal também no seu escritório, na sua casa ou, pelo menos, na sua cabeça e no seu coração.

Muita coisa mudou na minha vida e na vida do mundo desde que escrevi esta coluna, em 2016. Mas muita coisa não mudou. Uma delas é a necessidade de o homem ter esperança. Por isso: Monte sua árvore.




Fonte: Nizan Guanaes, empreendedor, criador da N Ideias​   |   FSP



(JA, Jun20)



Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,