Pular para o conteúdo principal

Ser Feliz


Num casebre mal iluminado, um idoso, dormitando, tentava escrever para seu filho João, que estava vivendo em São Paulo.
A vela tremia  quando o vento entrava pela janela sem vidros. Já era tarde e o dia tinha sido duro para ele, embora tivesse desde sempre trabalhado pesado na pesca de arrastão.
“ Meu bom filho, teja bem na graça de Deus. Aqui a miséria campeia como mato bravo em roçado, e, além disso, te tenho muito sodade. Porisso, quero muda prá aí, prá vive com ocê, com tudo de bom que Sum Paulo deve ter...”
“Meu pai, não venha para cá. A cidade é muito grande, tudo é bonito e diferente. Mas, essa beleza toda não modifica muita coisa. Tenho tanto dinheiro no bolso como quando saí daí. Para se viver aqui, tem que se gastar muito; então, não adianta ganhar mais.
Muitos anos se passaram, já tenho mais idade, entretanto não sou bem feliz como imaginava que poderia ser quando vim para cá; muito pelo contrário. Talvez seja porque  estou longe dos  meus amigos de sempre. De vez em quando, até penso que as pessoas que me querem bem tenham ficado todas por aí. Hoje, por exemplo, é Natal. Não sinto mais aquele gostinho de alegria que sentia nesse dia, vendo o mar, os tocadores de viola, e a criançada brincando com as bolas coloridas ou bonecas, que tinham ganhado do velho ‘Noel’.
Meu Noel sempre foi o senhor - aliás foi só aqui que descobri isso -, e, então, passei a lhe gostar mais ainda. Pena que tudo isso agora só exista na minha lembrança.
Vou voltar! Já decidi! É aí que é o meu lugar. É verdade que vou deixar aqui muitas pessoas que tentaram me ajudar a progredir, que me compreenderam.  Porém, não vou esquecê-las não; vou sempre lembrar delas com carinho e gratidão.  É que agora descobri, que onde se nasce é onde se deve morrer.  Parece que tudo que plantamos durante a nossa vida, só dá frutos, tem sentido, quando voltamos para o lugar de onde viemos, para as pessoas que mais amamos. Vou me reencontrar ai. Então, vou me comparar com quem eu era, e com quem eu sou agora. Vou tentar lembrar de tudo.
Uma vantagem vou levar. Quando saí não pensava como hoje. Agora me sinto maduro, tranquilo. Compreendo mais as coisas; não dou tanto valor ao dinheiro e carrego pouca ambição. Gosto das coisas simples, prezo as pessoas, a humanidade inteira. E, basicamente, o que quero mais é ser Feliz!“


“Uma das formas mais simples para se sentir feliz, é abandonar as coisas que te deixam triste.”



(JA, Mai15)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,