Pular para o conteúdo principal

Previsões assombrosas para o futuro







Se você alguma vez já se perguntou quando os robôs passarão a ser algo tão comum em nossas casas quanto uma geladeira, o americano Raymond Kurzweil diz não adivinhar, mas saber o ano exato: 2027. Mas porque ele teria tanta certeza?


Raymond Kurzweil, 1948-
       

Kurzweil é inventor, futurólogo, escritor e diretor de engenharia no Google, especializado na área de Ciências da Computação e Inteligência Artificial. Ele é conhecido por seus prognósticos tecnológicos científicos, sendo que alguns deles já se tornaram realidade.

Por exemplo, ele previu a queda da União Soviética, a vitória de um computador em uma partida de xadrez disputada contra o melhor jogador do mundo, o surgimento de assistentes eletrônicos, como Siri e Alice, e sistemas de realidade virtual aumentada.

Em um post, o Incrível.club traz algumas previsões do futurólogo para o século 21. Parece que algo grandioso realmente nos espera. O que você faria se, um dia, abrisse a janela e se deparasse com uma cena de filme de ficção científica?

Muitas coisas parecem difíceis de acreditar, mas Ray Kurzweil raramente erra.

Em outubro de 2010, ele publicou um artigo que analisava como as previsões descritas em seus três livros (de 1990, 1999 e 2005) já tinham virado realidade. 

Das 147 previsões, 115 foram totalmente acertadas, 12 acertadas de maneira geral, 17 parcialmente certas e apenas 3 equivocadas. Assim, o nível de previsão do futurólogo é de 86%.

A humanidade terá vencido as doenças que matam cerca de 95% das pessoas nos países desenvolvidos.

Processos ligados ao envelhecimento ficarão significativamente mais lentos, e começarão a reverter-se.

Computadores continuarão diminuindo de tamanho e passarão a perder suas formas habituais. Chegarão a ser costurados na roupa.

Haverá um novo governo mundial decidindo sobre toda a humanidade.

A partir do início dessa década, aparecerão gradualmente os ‘corpos humanos 2.0’, baseados em sistemas de nanotecnologia.

Agências de publicidade transmitirão publicidade auditiva personalizada a cada indivíduo. Apenas a pessoa poderá ouvir a própria propaganda.

Ano 2025

Aviões militares e automóveis serão 100% controlados por computador.

Terá início uma nova fase da nanotecnologia que ajudará a entender totalmente o funcionamento do cérebro humano.

Ano 2027

Será possível fazer uma simulação computadorizada precisa de todas as partes do cérebro humano.

Ao final da década será criada uma inteligência artificial comparada à humana.

Ano 2029

A inteligência artificial passará no teste de Turing, o que confirmará sua capacidade de pensar como um ser humano.

Ao fim da década, a realidade virtual terá uma qualidade tão alta que será impossível diferenciá-la da realidade real.

As nanomáquinas serão amplamente utilizadas na medicina.

A produção baseada em nanotecnologia será usada tão amplamente que mudará radicalmente a economia.

Os nanorobôs poderão penetrar nas células para ‘alimentá-las’ e eliminar os resíduos: consumo de alimentos habitual se tornará obsoleto.

Ano 2030

Será possível ‘carregar’ a mente: as pessoas poderão viver na Internet, projetando seus corpos onde e quando quiserem na realidade virtual ou mesmo real.

Os equipamentos hoje necessários para a imersão na realidade virtual desaparecerão: as nanomáquinas serão implantadas no cérebro, interagindo diretamente com as células cerebrais.

A presença das nanomáquinas no cérebro das pessoas irá melhorar significativamente as capacidades cognitivas e sensoriais, assim como a memória.

As pessoas poderão se comunicar ‘telepaticamente’ através de redes sem fio.

Surgirão os ‘corpos humanos 3.0’, que não terão forma definida. A aparência poderá ser escolhida.

Ano 2040

A inteligência não biológica irá superar em milhões de vezes a biológica.

As pessoas passarão a maior parte de seu tempo na realidade virtual. A ‘Matrix’ do cinema é um exemplo deste tipo de mundo virtual super desenvolvido.

Os nanorobôs auto-organizados serão mais comuns, capazes de criar em grupo.

Ano 2045

Pessoas atualizadas e ‘baixadas’ ciberneticamente serão comuns nessa época.

Por mil dólares, será possível comprar um computador milhões de vezes mais ‘inteligente’ que todas as pessoas juntas.

Terá início a singularidade tecnológica: a inteligência artificial irá superar o homem, assumindo o posto de vida mais inteligente da Terra.

A singularidade mudará para sempre o curso da história humana.

A destruição da humanidade pelas máquinas é improvável, pois não haverá diferenças especiais entre homem e máquina.

Anos 2045–2099

A Terra irá se transformar num computador gigante.

As pessoas que optarem por manter seu estado natural, viverão em áreas especiais de reserva.

A humanidade não será mais limitada pela velocidade da luz.

A inteligência artificial irá extrapolar os limites da Terra, levando sua influência primeiro ao sistema solar, e depois a outras galáxias.

Estrelas, planetas e meteoros vão se transformar numa matéria estruturada capaz de abrigar vida.

Em 2099, as máquinas poderão construir computadores do tamanho de um planeta.

Parece incrível, não é? Mas precisamos lembrar que, já em 2016, já tinha gente usando braços robóticos e os carregando.








Fonte:  Incrível.club  |  Cesar Vieira Bisetto, Noroeste News



(JA, Fev20)


Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,