Pular para o conteúdo principal

Descobrindo a sabedoria do Tao




Tao Te Ching, edição Wang Bi, Japão, 1770

‘Tao Te Ching’ é o livro de sabedoria mais traduzido do qualquer outro livro no mundo, com exceção da Bíblia. Muitos estudiosos consideram esse clássico chinês um tratado supremo da natureza da vida. Esse antigo texto, composto por 81 versos, descreve um modo de viver equilibrado, moral e espiritual, que funciona para todos os aspectos da vida na Terra.

A lenda diz que o Tao Te Ching foi escrito por Lao-tzu, um profeta que também era o guardião dos arquivos imperiais na antiga capital Luoyang. Ao assistir a decadência no período dos estados em guerra, Lao-tzu decidiu seguir em direção ao oeste, até o deserto. No desfiladeiro de Hanku, um porteiro chamado Yin Hsi, conhecendo a reputação de Lao-tzu como homem sábio, implorou a ele que registrasse a essência dos seus ensinamentos. Dessa maneira nascia o Tao Te Ching, na forma de cinco mil caracteres chineses. Atualmente ele sobrevive em milhares de versões, em praticamente todos os idiomas.

A obra inspirou o surgimento de diversas religiões e filosofias, em especial o taoismo e o budismo chan (e sua versão japonesa, o zen).

Uma das muitas dádivas do Tao Te Ching é a qualidade de ampliar a mente para se viver melhor. Por exemplo:

<> Se você acha que exercer o poder é a resposta apropriada, Lao-tzu insiste que se veja o valor de ser humilde.
<> Se parecer que a ação é necessária, ele pede que considere a não ação.
<> Se você acha que desejar bens materiais o ajudará a adquirir o que precisa ou deseja, ele o aconselha a relaxar e ser paciente.

Exatamente o que é isso chamado ‘o Tao’? Como consta no primeiro verso, nomeá-lo é perdê-lo, então o melhor é entender o Tao como a realidade suprema, a Fonte totalmente penetrante de tudo. O Tao nunca começa ou termina, não faz nada, mas anima tudo no mundo da forma e dos limites, que é chamado ‘o mundo das dez mil coisas’.

Os comentários sobre o Tao Te Ching geralmente interpretam Tao com ‘o Caminho’, Te como ‘a forma e força’ (isso é, como o Tao se manifesta), e Ching como ‘livro’.


Lao-tzu



Lao-tzu encontra Yin Xi, o guardião do portão do Tibete

Assim como a maior parte das figuras mitológicas dos fundadores de religiões, a vida do escritor do ‘Tao Te Ching’, Lao-tzu, é envolta em lendas.

Segundo a tradição, Lao-tzu nasceu no sul da China por volta de 604 a.C, tendo sido superintendente judicial dos arquivos imperiais em Loyang, capital do estado de Ch'u. Desgostoso pelas intrigas da vida na corte, Lao-tzu decidiu afastar-se da sociedade, seguindo para as Terras do Oeste.

Montado em uma carroça puxada por um boi, seguiu viagem, mas, ao atravessar a fronteira, um dos seus amigos, o policial Yin-hsi, o reconheceu e lhe pediu que escrevesse seus ensinamentos antes de partir. Lao-tzu, então, escreveu o pequeno livro conhecido posteriormente como ‘Tao Te Ching’, e partiu em seguida. Segundo a história, morreu em 517 a.C.

Lao-tzu foi canonizado pelo imperador Han entre os anos 650 a.C. e 684 a.C. 




Lao-tzu

Tratase de um texto filosófico relativamente curto, com pouco mais de 5000 caracteres, que era originariamente conhecido como ‘Lao-tzu’ ou como ‘O Texto das 5000 palavras’.

A escola de pensamento taoísta ficou explicitamente identificada com a palavra Tao por ter atribuído conotações novas a este termo, associandoo a uma abordagem diferente do conceito de ‘Realidade Última’. Os mais recentes estudos apontam que Tao Te Ching tenha sido escrito entre 460 a.C. e 380 a.C..

A versão mais antiga que se conhece do Tao Te Ching foi encontrada em 1993, em Guodian, na China, num túmulo datado do período de meados do século IV ao início do século III a.C. Está escrita numa série de réguas de bambu, cada uma das quais contendo cerca de vinte caracteres. O texto passa de uma régua para outra, sem qualquer pontuação ou divisão em parágrafos ou capítulos.

A primeira tradução do Tao Te Ching para uma língua ocidental ocorreu somente no século XVIII, por obra de missionários jesuítas na China. Essa tradução foi apresentada na Real Sociedade de Londres para o Melhoramento do Conhecimento Natural, em 1788. Desde então, o Tao Te Ching tornou-se cada vez mais conhecido no ocidente, sendo, atualmente, um dos livros mais traduzidos no mundo, ao lado da Bíblia.

O mundo precisa recrutar futuros líderes que estejam impregnados da importância das palavras de Lao-tzu. Nossa sobrevivência neste século 21 talvez dependa de entendermos que os conceitos de ‘inimigo’ e ‘guerra’ podem cessar de existir ao vivermos de modo centrado no Tao. O governo terá que se abster de regular nossa vida pessoal, tributar excessivamente nossa renda, e invadir nossa privacidade.

Os conselhos do velho mestre são muito fáceis de aplicar. Você não precisa complicar. Simplesmente, permita-se permanecer em harmonia com a sua natureza, na qual você poderá confiar se simplesmente ouvir e agir de acordo com ela.

Influência

Paulo estava caminhando, passeando no parque, num sábado de manhã. Passou pela sua mente a informação que havia recebido dias antes de que, de acordo com a física quântica, as partículas surgem num campo de energia invisível e informe. Uma energia pura e eterna, que está em tudo e em todos no planeta, permanecendo sem se contaminar com a aparência sólida da forma. 

Nisso, de repente, sentiu-se transportado, e se encontrou num lugar completamente desconhecido, mas, ao mesmo tempo familiar.  Era uma grande sala, coberta por uma cúpula transparente, através da qual entrava uma luminosidade radiante. Ele se sentiu tranquilo, acolhido, livre de toda angústia e o medo que ultimamente o acompanhavam. Sentia-se feliz, envolvido por aquela energia transcendental. Isso durou pouco tempo. Logo em seguida, ele se reencontrou no parque, caminhando como antes.

Surpreso e curioso com o ocorrido, começou a pesquisar e chegou à conclusão que tinha entrado num estado de relaxamento - comum para quem faz meditação, e, inconscientemente, foi levado para a ‘casa’ do eterno Tao (Tao Te Ching). 

Conceitos que reuniu - principais

De acordo com o que Lao-tzu, que escreveu, há cerca de 2500 anos atrás, um dos mais profundos livros de filosofia do mundo, o ‘Tao te Ching’, o espaço que ele adentrou, seria a própria divindade, aquele que criou tudo e a todos, inclusive a ele próprio, Paulo.

De acordo com o texto, Tao sempre abrirá a porta da frente para quem quiser entrar, para se aquecer no sagrado calor do seu interior. Ele será o santuário de quem chegar, a qualquer hora. Aliás, ele existe em cada um de nós.

Tao é o reino incognoscível e invisível, onde tudo tem origem. Entrando em contato com ele, por meio de suas sensações, ele revelará o seu melhor caminho.
O mundo do espírito (Tao) cria e governa toda a vida.

Lao-tzu recomenda não correr atrás de seus sonhos. O que é seu virá até você quando não estiver tentando apressar o rio. O mar é o rei de uma centena de rios porque ele se situa abaixo deles. A humildade dá a ele esse poder.

Esteja em paz, e seja grato por aquilo que está permitindo que sua vida se desenrole numa ordem perfeita, num timing indiscutível. Abra mão de todos os pensamentos apressados.

Não existe dificuldade quando você vive o momento presente, fazendo apenas o que pode, naquele exato momento.

‘O sábio não valoriza o que é difícil, porque ele o divide em etapas, facilmente administráveis’.

Se se mantiver mentalmente ligado ao Tao, você atrairá para si mesmo as forças da criação: as pessoas certas aparecerão; os eventos que você deseja ocorrerão; o financiamento aparecerá.  Repita o mantra:

‘Eu tenho a grandeza. Eu atraio a grandeza. Eu sou a grandeza’.

Se você tiver problemas, saiba que, na realidade, os inícios geralmente estão disfarçados como finais dolorosos.  Quando você muda o modo com vê as coisas, as coisas que você vê, mudam.

Mudança é uma constante na vida. Tudo está num ciclo de ir e vir.

Visualize um escudo protetor à sua volta, protegendo-o contra o que é percebido como mal no mundo. Qualquer mal que se aproximar de você será repelido pelo escudo. Aceite que tem a capacidade de permanecer equilibrado e centrado, independentemente do que estiver diante de você.

Se você assumir, tiver consciência de que, potencialmente, seu pensamento, seus sentimentos, sua energia, têm um efeito infinito sobre o universo, irradiará a consciência do Tao. Você será como uma onda de energia que ilumina a sala – todos verão a luz e serão afetados. A sua vida fará a diferença.

Cada pessoa que um dia existiu, ou que um dia existirá, é uma parte de você, nascida da mesma fonte.

Veja a si mesmo em todos que encontrar, em cada criatura do nosso planeta, nas florestas, nos oceanos e no céu.  Fazendo isso, cada vez mais desejará permanecer em um estado de cooperação em vez de competição.

‘O sábio vive em harmonia com todos sob o céu. Ele vê tudo como seu próprio ser. Ele ama a todos como seus próprios filhos’.

Resumindo, aquela caminhada naquele dia no parque, e o que aconteceu, tiveram uma influência significativa na vida de Paulo.  Posteriormente, com base no resultado de suas pesquisas, fez uma profunda reflexão sobre a sua vida, seu modo de agir, relacionamentos.

A partir daí, passou a adotar os conselhos de Lao-tzu, simplificando as suas expectativas, e passando a encarar de uma forma mais positiva todas as pessoas com as quais convivia, a humanidade em geral, enfim tudo que se relacionasse com a sua vida. Mesmo sem grandes mudanças, passou a sentir mais calmo, confiante, de bem como o mundo e, surpreendentemente, ser bem sucedido em tudo a que se propôs fazer. 







Nota: O nome de Lao-tzu já foi escrito de muitas maneiras diferentes no decorrer dos anos. Neste texto foi usada a grafia utilizada no Merriam-Webster’s Collegiate Dictionary, 11ª Edição.
Fonte: Dr. Wayne W, Dyer, autor do livro ‘Novas Ideias para uma Vida Melhor’  |  WP  |  Dvs




(JA, Nov19)




Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,