Pular para o conteúdo principal

Professor Dr. Claude Machline



Bem-humorado, foi um dos fundadores de escola de administração em SP


Claude Machline nasceu no Rio de Janeiro em 1922 e passou a maior parte da infância em Paris


Claude Machline comemora aniversário, dezembro de 2018

Um professor bem-humorado, inspirador e humilde. Esses foram alguns dos adjetivos usados por ex-alunos e colegas para descrever o engenheiro Claude Machline, um dos fundadores da Escola de Administração de Empresas da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Nascido no Rio de Janeiro em 1922, passou a maior parte da infância em Paris. A mãe era francesa e o pai, ucraniano. Quando eclodiu a Segunda Guerra Mundial (1939-45), a família retornou para o Brasil.

Autodidata, aprendeu português na viagem de navio para a América, lendo livros. Já sabia alemão, por causa de uma babá, e francês. Mais tarde, aprendeu a falar inglês.

Formou-se engenheiro químico pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e fez mestrado e doutorado nas universidades americanas Michigan State e Stanford.

O senso de humor era sua marca registrada. Era tão brincalhão que incentivou a única filha, Vera Cecília, a se dedicar a estudos sobre o riso —formada em letras, desenvolveu trabalhos sobre teoria do humor. Ele dizia que o riso era ‘um dos assuntos mais complexos que existem’.

Era espontâneo, mas metódico, e um ótimo detector de erros, diz a filha. Fazia questão de corrigir cada vírgula e acento errado em trabalhos de alunos. Também era rigoroso com horários.

Adorava cinema, literatura francesa, álcool gel, mostarda e arroz doce. Viajava sempre que podia com a filha. Conheceram Turquia, Grécia, Itália, Áustria, EUA.

Eu era aluno dele na FGV. Na época trabalhava como analista organizacional administrativo numa multinacional alemã, e tinha a pretensão de implantar na área de produção da fábrica algumas das técnicas que tive oportunidade de aprender e a desenvolver na área administrativa. Ele ouviu minhas ideias e, humilde e simpaticamente, se interessou. Organizei uma visita dele à fábrica.  Visitamos a linha de produção, almoxarifados, etc. Ele quis saber de tudo um pouco – os sistemas, processos, controles, etc. Em seguida, participou de um almoço comigo e o diretor da minha área.

Infelizmente, independentemente da assessoria muito gentil  e útil do Professor Machline, meu projeto não foi para frente porque, na mesma época, chegou da Alemanha uma pessoa vinculada à área de produção, com um  projeto semelhante ao que eu propunha, funcional - já testado na matriz, e, naturalmente, foi o que foi considerado, implantado.

Anos mais tarde, o reencontrei e ele se lembrou da passagem. Simpaticamente agradeceu muito a oportunidade que teve então de  conhecer mais de perto o funcionamento produtivo de uma grande multinacional.

Já nos últimos dias de vida brincava que tinha uma doença intratável: a velhice. Morreu em 27 de fevereiro, aos 96 anos, em São Paulo, vítima de uma falência cardíaca. Foi enterrado com o seu relógio de estimação.


No vídeo-  login abaixo - Prof. Dr. Claude Machline fala sobre a sua carreira na área de produção e operações. (Out12)









Fonte:  FGV EAESP Pesquisa  |   Júlia Zaremba, FSP 



(JA, Abr19)



Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,