Pular para o conteúdo principal

Super Ação




Por conta da recente greve dos caminhoneiros, o dono do posto de combustível -que ainda tinha estoque disponível-, passou a vender o litro de gasolina  a partir R$ 6,50. O Ceasa a vender a saca de 50kg de batata, que ontem custava R$ 70,00, a R$ 200,00. O supermercado a vender o quilo de tomate, que ontem custava R$ 4,00, a R$ 8,00, entre outros abusos oportunistas. Lamentável!
E é só político que é ladrão, corrupto?! Humm?!  
Soube que, quando no passado numa cidade americana ocorreu um furacão, a maioria dos supermercados, farmácias e postos de combustível locais, passaram a vender seus produtos a preço de custo, para ajudar a população prejudicada a superar aquele momento. Ótimo exemplo. 
A reação dos produtores e comerciantes durante a greve, evidenciou o problema cultural do Brasil. A maioria do nosso povo ainda não está amadurecida o suficiente para conseguir separar situações de crise humanitária das de mercado; o que aceitável moralmente, do que não é. Habitualmente tenta levar vantagem, sem escrúpulos.  
Como mudar esse comportamento? Talvez, neste momento, pela forma como os produtores e comerciantes se aproveitaram da situação criada, evidenciando a pouca, ou mesmo, a inexistência de responsabilidade social por parte da maioria, seja uma ótima oportunidade para promoção dessa mudança. 
Lembro-me de quando foi implantada a obrigatoriedade do uso de cinto de segurança pelos ocupantes de veículos aqui no Brasil. Era uma novidade, uma grande mudança de hábito.  Foram feitas então campanhas públicas e empresariais, preparando os usuários para a novidade, justificando a obrigatoriedade, explicando a utilidade do uso em caso de acidentes, ressaltando a responsabilidade do motorista para com a segurança de seus passageiros,... E, finalmente, hoje em dia, é considerado um ‘babaca’ quem não se utiliza desse recurso.
Não seria o caso de serem desenvolvidas campanhas para ressaltar a responsabilidade de cada um para com o próximo que esteja passando por uma situação de carência, de necessidade? 
Assim como o mau impróprio não afeta negativamente apenas a vítima direta – por exemplo, o custo da corrupção não é pago pelo corruptor, mas por toda a população, através da manipulação do custo real dos gastos, e da necessidade compensatória do aumento dos impostos, cada vez mais caros, abusivos-, o bem moral não irá beneficiar apenas quem recebe apoio, ajuda, mas a toda a sociedade, num processo de progressão contínua, recorrente. 
Assim, com o tempo, a maioria será levada a abjurar, a evitar o mau e quem o pratica, e vice-versa. Então, o povo e seus representantes passarão a caminhar com mais facilidade no sentido sua superação, otimizando a utilização dos recursos públicos -  sem desperdício, com eficiência.
E,  no finalmente, como decorrência, esta sempre promissora nação e o seu povo, seriam levados a alcançar o seu melhor destino.  


"As pessoas que nos fazem  bem são aquelas que conseguem extrair de nós o que temos de melhor. Refletindo sobre, não é difícil concluir que nascemos para sermos melhores do que somos, mas que, por isso ou por aquilo, acabamos nos distanciando de nós mesmos, daquele que devíamos ser."  

(JA, Mai18)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,