Pular para o conteúdo principal

Realidades Cruzadas


Caso 1
Uma moça, tinha um emprego regular e morava em uma casa, com mãe e o irmão. Ela era solteira. Gostaria de poder dividir sua vida com alguém, sair daquele ambiente limitante em que vivia. Mas, devido às tentativas anteriores fracassadas, por isso ou aquilo, havia até desistido dessa possibilidade, evitando pensar nisso.
Um rapaz, descasado já há mais de um ano, com um filho que morava com a mãe (a ex-mulher), tinha um bom emprego e morava sozinho, em um apartamento. Acostumado com a vida em família, se sentia solitário vivendo como vivia. Mas, apesar disso, ia levando a vida, da melhor maneira.  
A moça, como fazia eventualmente, foi ao Shopping dar uma olhada nas vitrines e, talvez, comprar alguma coisa.  O rapaz, que também havia ido a esse Shopping, vinha descendo pela escada rolante quando viu a moça no andar debaixo. Ela lhe chamou a atenção.  Tinha traços bonitos e uma expressão e olhar tranquilos, próprios de quem é uma boa pessoa. Ele trocaram olhares e ele, sentido haver espaço, a convidou para tomar um café. Isto aconteceu há muitos anos atrás. Eles estão casados desde então. Têm filhos e, naturalmente, uma vida em comum, completamente diferente e independente da vida passada.  Suas realidades foram alteradas desde aquele primeiro encontro.

Caso 2
Um jovem que havia acabado de entrar na faculdade, tentou ser transferido no banco em que trabalhava para uma área na qual ele identificava maiores chances de evolução profissional, além de ter a ver com ao curso que estava iniciando. Entretanto, não conseguiu. Então,  através de um colega da faculdade, que trabalhava numa outra empresa nessa área, depois de muito insistir, conseguiu uma entrevista e, finalmente,  ser admitido, realizando seu objetivo. 
Lá, ele conseguiu melhorar seu nível salarial e adquiriu experiência na atividade em questão. Oportunamente, alguns anos depois, um de seus colegas de empresa foi trabalhar numa multinacional, na mesma área. Depois de várias tentativas, conseguiu também ser contratado por aquela empresa. Ali ele permaneceu por muitos e muitos anos. Seu nível salarial e responsabilidades foram crescendo e ele, no finalmente, adquiriu uma posição e patrimônio invejáveis para alguém da sua idade.  Sua realidade foi alterada a partir daquela sua iniciativa inicial, quando pretendeu trabalhar em tal área e, principalmente, quando não conseguiu, insistiu com seu colega da faculdade para arrumar uma entrevista e conseguir o emprego que almejava.

O que há de comum nesses dois casos? Por que a realidade deles pode ser mudada tão radicalmente? Basicamente, foram quatro fatores:
  1. Pré-disposição para uma mudança.
  2. Definição de um objetivo
  3. Criação de condição para surgimento de uma oportunidade
  4. Foco e determinação para aproveitamento da oportunidade

Interessante observar que a realidade de cada um vai mudando simultaneamente com outra e outras realidades, se entrelaçando, tecendo um conjunto que resulta numa vida singular para cada um, embora encenada em diversos cenários comuns.
Essas realidades alteradas é que criam a nossa história pessoal, do nosso negócio, da nossa cidade, do nosso país, da nossa descendência. Todos, de alguma forma, contribuem, uns pouco outros mais, para que a realidade universal seja o que é atualmente, e como será no futuro.
A pessoa que vive a sua melhor realidade é uma pessoa feliz. E, como o importante é ser feliz, como se diz, temos que ir atrás dela e conquistá-la.  A felicidade não é exclusiva; pela sua própria natureza, ela é compartilhada.  Assim, você sendo feliz, faz com que outras pessoas o sejam também, e por aí vai.  Portanto, se alguém estiver insatisfeito com a sua realidade, tendo chegado à conclusão que ele  ela deveria ser diferente, tem a obrigação, o dever comunitário, de tentar mudá-la. Só assim a sua vida poderá ser otimizada, ser plena, viabilizando sua realização pessoal e profissional, em benefício de toda a sociedade. Observar que, a pessoa estando conscientizada da necessidade da mudança, tendo chegado nesse ponto,  já cumpriu o primeiro fator:   ‘Pré-disposição para uma mudança’. Falta apenas cumprir os demais.
E, se eventualmente, tentar e não conseguir, não importa. Ela se sentirá feliz por, pelo menos, ter tentado, ao invés de ficar imobilizada, na espera, maldizendo seu destino, desperdiçando tempo e energia. Todos, independentemente da situação ou estado em que estejam, sempre poderão reconstruir a sua realidade, redirecionar o seu destino. Mesmo tendo falhado uma vez, ou mais vezes, sempre surgirão novas oportunidades. As oportunidades, são como plantas: precisam ser regadas para germinar e florescer. Algumas morrem, não dão frutos; mas, independentemente das perdas, sempre haverá uma colheita.

 "Os vencedores fizeram aquilo que os perdedores não pensaram, não quiseram, não conseguiram, ou não insistiram em fazer.”



(JA, Jul14)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,