Pular para o conteúdo principal

Cão também ensina






Embora sejamos notadamente mais inteligentes, racionais, tenhamos acumulada uma história de vida de várias gerações, formação acadêmica, etc., não é difícil apreender algo com nossos animais de estimação, nossos cães.

Basta prestarmos atenção na forma como eles reagem aos estímulos, e aos sentimentos que desenvolvem na sua curta existência, convivência conosco.

Pessoalmente tenho e convivo com o cãozinho da raça Corgi. Embora ele tenha apenas 6 meses de idade, tem a personalidade muito positiva, tanto que logo fui levado a considerá-lo como um amigo.  


Alegria

É alegre com o que tem. A casa, a família, as visitas, os amigos, seu espaço, suas coisinhas. Ele curte o seu mundo, sem sentir falta de mais alguma coisa. 

Procura repetir, compartilhar com você, as práticas que lhe dão prazer, trazem alegria.

“Felicidade não depende do que nos falta, mas do bom uso que fazemos do que temos.”   |  Thomas Hardy



Companheirismo / Lealdade




É seu parceiro. Preocupa-se em saber onde você está, como está se sentindo, o que quer dizer. Quando você está presente, fica junto; quando está fora, fica aguardando até a sua chegada, e o recebe com alegria.

Capta e reconhece a sua energia - positiva ou negativa, entra no espírito da coisa, e compartilha com você, independentemente de como se sente.

É importante reconhecermos isso e aproveitar enquanto podemos conviver com ele, para não sentir saudade depois.


“É engano pensar que só existe saudade do que aconteceu. Existe saudade daquilo que quase ocorreu.  Do que a gente sonhou e não realizou. Do que ficou pelo caminho por falta de insistência. Essa saudade é dolorida e tem gosto indefinido.”  |  Ita Portugal




Compreensão / Entendimento




Sabe se está agradando, fazendo certo,  ou muito pelo contrário.  Passada a euforia inicial, ao perceber que está fazendo algo que contraria a orientação recebida, ou ao ser repreendido, interrompe e, depois, humildemente, vem agradar seu dono, treinador, como se pedisse desculpas, querendo reatar a boa relação.

Quando se fala com ele, mesmo que não esteja entendendo literalmente o que está sendo dito, dá o máximo de sua atenção. Seu olhar transmite compreensão pelo que você está sentindo, que está de acordo, solidário.


“Preste atenção nos olhos, eles demonstram todos os sentimentos.”



Atenção / Respeito




Obedece os comandos, como foi ensinado. Sem ressentimento, raiva ou ódio.

Dependendo da necessidade, ele é transferido de lugar, de horário, alimentação, etc.  Reage naturalmente, sem estresse, como se isso fizesse parte da vida.  

Após aprender alguma coisa não esquece mais. Cumpre, sem exigir nada em troca, ou impor condições.  É impressionante como registra e manifesta o que está em sua memória – mais do que nós humanos.

“Memória é pensamento, energia, e não acaba. Ela se agrega a outras energias e, no máximo, se transforma. Tudo que geramos permanece, mantém  a sua força original. Por isso não é errado dizer: nossos momentos, principalmente os especiais, são eternos”.









(JA, Dez19) 



Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,