Pular para o conteúdo principal

Sentido da Vida






Viver

O por do Sol indicava o fim do dia. Ele caminhava em direção oposta, esperando um novo dia, sem destino definido. Apenas passava o tempo - sem nada pensar, questionar, decidir, construir, criar ou resolver.  Apenas existia. Mais alguns anos, e a passagem do Sol iria indicar o fim do seu tempo, da sua vida. 

Porém, não existe um final para ninguém. O que existe é  apenas uma parte em que você sai da história. A sua participação será eterna. Ela ficará registrada para sempre.

Sua existência teria sido muito diferente se não tivesse agido como agiu no passado. Foi quando estudou, assumiu causas, sonhos, objetivos, se empenhou, construiu,...

Mas, pensando bem, por quê e para quê dedicou tanto tempo, esforço?  Para chegar onde chegou? Mudou alguma coisa? Ou tudo seguiu seu caminho previsto, natural?


‘Viver é a coisa mais rara do mundo. Inexplicavelmente, a  maioria das pessoas apenas existe. Viver é diferente de existir - é transformar a si mesmo, e o mundo que conseguir influenciar’



Propósito




Tudo o que ele fez não significou, não mudou nada, a não ser para si próprio e para os seus próximos. Mas, enquanto estava batalhando para concretizar alguma coisa, sentia-se bem, era feliz. 

Refletindo sobre isso, concluiu que o mistério da existência humana, não reside apenas em permanecer vivo, mas em encontrar algo para o que valha a pena viver. Pois, no finalmente, independentemente da nossa origem, dos nossos talentos naturais, do nosso poder e riqueza, somos definidos, principalmente,  pelas nossas histórias.


‘Os homens não  nascem, não vivem, não  morrem, em vão’



Sociedade



Embora, aparentemente, o que estamos fazendo não mude muita coisa, essas ações, somadas às dos nossos contemporâneos e das gerações passadas, farão toda a diferença.
 
O homem sozinho não tem significado. Porém, participando de grupos, vivendo em sociedade, significa muito - mesmo sem ter percepção da sua contribuição. Pode construir, mudar a história, influir na qualidade de vida, tanto da sua como na dos que convivem com ele, e de todas as gerações futuras.

Nossas vidas, desde o nascer até o morrer, não nos pertencem exclusivamente. Pertencem também a outras pessoas, do nosso passado, do presente e do futuro.

Alguns se destacam mais do que os outros, mas o que eles conseguiram fazer para se destacar não teria sido possível sem os atos, atitudes, esforços, dos demais.


‘O mundo atual é o resultado da soma dos atos de todas as pessoas'


Momentos 




Explicar a vida é complicado demais. Entretanto, simplificando, poderia dizer que a vida é como uma caminhada, na qual o avançar é compulsório.

Vamos andando, passando por lugares maravilhosos, às vezes inóspitos, às vezes, assustadores. Planícies a perder de vista, morros e vales, desfiladeiros, cachoeiras.

Faz sol, chove, escurece, amanhece. Faz frio, calor. Procuramos nos acomodar o melhor possível, a cada momento. De quando em quando, caímos, as vezes nos machucamos. Levantamos. Continuamos. O tempo vai passando.

Quando encontramos um lugar desagradável, pensamos que, provavelmente, lá na frente, deve haver um lugar  melhor. Procuramos nos distrair, pensando nos momentos bons que já vivemos, ou vamos viver, nas pessoas que dependem ou dependeram de nós, ou que não tiveram a mesma sorte que tivemos. Continuamos.

No nosso caminhar, cruzamos com outras pessoas e, dependendo de quem julgamos que são, nos socializamos, compartilhamos o que temos. Podemos até seguir juntos por algum tempo, construir algo em comum. E continuamos.

Até que, de repente, inesperadamente, alcançamos o nosso destino  - o nosso fim. Não sabemos exatamente de onde viemos, ignoramos até onde deveríamos ter chegado, e não sabemos para onde iremos em seguida.

A vida será apenas essa viagem?!  Quem sabe?! Só podemos imaginar, sonhar.

Refletindo mais ainda concluiu que determinados momentos da vida determinaram o seu futuro. Infelizmente, quase nunca percebeu, deu o devido valor, quando estavam acontecendo. A partir de então, entendeu, mesmo agora, no ocaso da vida, da importância em se tratar todos os momentos como sendo fundamentais, para evitar correr o risco de não dar a devida atenção a algum desses, e se arrepender depois.

Entendeu que a vida é feita de dias que não significam nada, e de momentos que significam tudo.

Uma vida é como um jardim. Dá para se ter momentos perfeitos, mas é importante reconhecê-los, e tentar preservá-los o mais tempo possível, nem que seja na memória.


‘Quando você faz a sua vida ter um propósito, todo momento é um tesouro. O que fica do tempo vivido são os momentos.  Quanto mais especiais eles forem, mais especial será a sua vida’



Sentido 




Em busca de soluções o homem inventou Deus, que é  a resposta às  perguntas sem resposta.

Em algum momento, acabou esquecendo o que eu pretendia fazer da sua vida. Depois, foi se deixando levar. Esperava, um dia, redescobrir seu sentido. Teria que haver. Afinal, tudo tem um propósito - nada acontece por acaso.

Finalmente, entendeu que a vida tem sentido sim, e que cabe a cada um procurá-lo dentro de si. Existem várias possibilidades a serem exploradas, de acordo com o perfil de cada pessoa.

Há os que reinventam a realidade por meio da poesia, da música, da pintura, enfim das diversas possibilidades para responder à  perplexidade, com o deslumbramento e a beleza.

  também aqueles que dão  sentido às  suas vidas empenhando-se em pesquisas  científicas, ou realizações tecnológicas, ou em produções agrícola, industrial ou comercial.

Também  existem os que encontram esse sentido  ajudando aos outros,  ou se dedicando ao trabalho, à  família.

Basicamente, o ser humano, para ser feliz, necessita de uma utopia, de um sonho que, se realizado, seria o seu mundo ideal. 


‘O que se leva da vida... é a vida que se leva. Não  basta sobreviver, temos que viver a nossa vida. A vida tem um sentido que transcende à existência física’


Morte




Agora, já próximo do fim, recordou dos rostos de todos que conheceu, conviveu. Uns mais nítidos do que outros, mas todos igualmente importantes, no sentido que cada um contribuiu para ele ser quem era. Ele era parte de deles, e eles parte dele. Certamente, isto tem um propósito; um propósito  que está além da nossa consciência, mas que é fundamental para o todo, do qual fazemos parte.

O que acontece quando morremos? Nós voltamos de onde viemos. E de onde viemos? Não sei!.

Imagine que você esta a beira mar e vê uma embarcação partindo. Você fica olhando, enquanto que ela vai se afastando e se afastando, cada vez mais longe, até que, finalmente, parece um ponto no horizonte, lá onde o céu e o mar se encontram. E você diz: 'Pronto, ela se foi!' Foi para onde? Foi para um lugar que sua vista não alcança, só isso... Ela continua tão grande e tão importante como era quando estava perto dos que ficaram. A dimensão diminuída está neles e não nela. A vida de cada um tem um significado e uma importância que ficará para sempre, pela energia que produziu e é, inconscientemente compartilhada com todos, principalmente com aqueles que influenciou diretamente, por falas, atitudes, ou realizações.


A morte não é nada,
Eu somente passei para o outro lado do caminho.
Eu sou eu, vocês são vocês. O que eu era para vocês, continuarei sendo.
Deem-me o nome que vocês sempre me deram, falem comigo como sempre fizeram.
Vocês continuam vivendo no mundo das criaturas; eu estou vivendo no mundo do Criador.    -     Santo Agostinho






(JA, Mai19)



Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,