Pular para o conteúdo principal

Fronteira Brasil | França

  

 

Você sabia que a maior fronteira que a França compartilha é com o Brasil?

São 730 Km de fronteira do território da Guiana francesa com o Amapá, enquanto que na Europa são 652Km de fronteira com a Bélgica.

História

As bases desta fronteira remontam ao Tratado de Utrecht de 1713 entre a França e Portugal, mas diversas interpretações quanto ao traçado da fronteira existem hoje. Embora a França considere que o rio Japoque mencionado no texto corresponda ao rio Araguari, o Brasil considera que corresponde ao rio Oiapoque.

O litígio decorreu durante dois séculos, e a França e o Brasil independentemente instalaram postos militares e missões religiosas no que seria conhecido como Questão do Amapá, com acusações mútuas sobre a sua integridade territorial respectiva.

Finalmente, uma arbitragem internacional feita pela Suíça deu razão ao Brasil em 1900: bem preparada, a delegação brasileira chefiada pelo Barão de Rio Branco, que já tinha obtido uma arbitragem favorável em litígio contra a Argentina, ganhou o arbítrio. A França secundarizou a preparação dos documentos, pois, mais preocupada com a colonização na África, enviou diplomatas com pouco conhecimento da questão. Como resultado, 260.000 km² de território - que teriam multiplicado por quatro a superfície do território atual da Guiana -  passaram a ficar sob a soberania do Brasil.

Como vestígio cultural desse período, ainda existem hoje no Amapá pequenas comunidades ameríndias que falam um antigo crioulo guianês.

Situação Atual

O Brasil está conectado à Europa através de uma ponte de 378 metros que liga os dois países, por onde os franceses cruzam cheios de privilégios e acesso livre, enquanto os brasileiros precisam de autorização, visto, passaporte, e ainda pagam uma taxa para chegar na França sul-americana

O Amapá, tão falado no momento, sempre foi uma porta escancarada de entrada na Amazônia para gringos de todas as partes do mundo. Por ali entram num vai-e-vem constante, há mais de 100 anos, e fazem o que querem. Detêm o controle da região, construíram centenas de pistas de pouso clandestinas, exploram garimpos, roubam madeira, ouro e pedras preciosas, fazem contrabando de animais, registram patentes de plantas para medicamentos, e depois somos obrigados a ouvir de governos estrangeiros que o Brasileiro é que está acabando com Amazônia.

Somos saqueados a gerações naquela região. Nossa madeira mogno está presente na maioria dos palácios e mansões na Europa e EUA.

Antes de qualquer governo estrangeiro abrir a boca para falar da Amazônia brasileira, deveriam convocar seus cidadãos ilegais, criminosos e escondidos, a retornarem a seus países.

Está cheio de gringo na nossa Amazônia disfarçado de missionário, cientista, estudioso de universidades e ONG’s, realizando ‘estudos e pesquisas’.

A região está cheia de zoológicos temporários, com animais aguardando para serem despachados em voos, em pequenos aviões.

Não estou relatando suposições. São fatos.

‘Meu pai era produtor cinematográfico. Filmou a construção da Rodovia Transamazônica no começo dos anos 70. Viu então dezenas de pistas de pouso clandestinas, centenas de aviões de pequeno porte fazendo a ponte aérea Amazonas/Flórida, carregando de tudo. Viu dezenas de estrangeiros explorando a região de todas as formas possíveis’.

São 3000 km (aéreo) do norte da Amazônia até Miami. São Paulo fica mais longe do que isso.

Já ouviu falar da expedição nazista ao Pará em 1935-1937? O interesse sempre foi mundial!

Você sabia que, por causa de uma disputa territorial, e pela descoberta de ouro no Amapá, os franceses do outro lado do Rio Oiapoque, realizaram um massacre na Vila do Espírito Santo do Amapá, matando aproximadamente 40 civis, inclusive mulheres e crianças, em 1895?

A ‘Questão do Amapá’ vai além do Contestado Franco-Brasileiro. O Brasil precisa ter soberania sobre a região, colocar cadeado nessa fronteira senão a porteira vai escancarar de vez, e vamos perder território sob alegação de que ‘os brasileiros’ estão destruindo tudo.

SOS Amapá virou hashtag! ‘Agora Somos Todos Amapá’. Brasileiro sendo midiático, sem conhecer a história de seu país.

O drama atual existe. Pobre população que teve Sarney (Maranhense), mas Senador eleito pelo Amapá!

Nestes dias, parece que ‘caiu um raio’ e deixou o estado todo no escuro. Será que foi raio ou estão desestabilizando mais uma vez essa região terra-de-ninguém?

Futuro

Por acaso querem gerar mais manifestação estrangeira questionando a competência do Brasil na região e polemizar pra enfraquecer a soberania?

Temos que afirmar nossa soberania na região e mostrar para o mundo que está cheio de gringo fazendo merda na Amazônia, e acabar com essa babaquice de achar que o problema na Amazônia é coisa nova. Acorda, povo! Governos estrangeiros estão fazendo um jogo para tomar conta do pedaço

Estão de olho nas ‘girafas e elefantes’ da floresta - ouro, petróleo e pedras preciosas mudaram de nome. Saquearam a América Latina, destruíram suas próprias florestas na Europa, usam energia produzida com carvão, e agora querem dar uma mordida aqui, alegando questões ambientais.

Claro que tem brasileiro desmatando. Claro que tem corrupção. É claro que o problema acontece por incompetência de autoridades em todas as esferas, e de leis que não funcionam há décadas.

Quando há muito interesse econômico e territorial numa determinada região, a história já mostrou que coisas mirabolantes, e planos maquiavélicos, são colocados em prática! A lista é longa.

Vamos ficar de olho!!! Se alguém tiver dificuldade de entender, basta ligar os pontos.




Fonte: Rinaldo Damasceno  |  WP

 

(JA, Nov20) 


 

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,