Pular para o conteúdo principal

Dia de Reis

    Giorgione, The Adoration of the Kings, ~1506
Os Três Reis Magos, ou simplesmente Reis Magos, na tradição da religião cristã, são personagens que teriam visitado Jesus logo após o seu nascimento, trazendo-lhe presentes.
Foram mencionados no Evangelho de  Mateus¹,  onde é relatado que eles teriam vindo do leste para adorar o Cristo recém nascido,  aquele que, de acordo com as profecias, seria o  Rei dos Judeus.
Os Reis Magos são  figuras constantes em relatos sobre a natividade e nas comemorações do Natal. Não há relatos bíblicos sobre quantos seriam, ou quais seriam seus nomes. Mas, ficaram conhecidos como sendo  Melchior, Baltasar e Gaspar.
Na verdade eles não eram reis. Talvez fossem sacerdotes da religião zoroástrica da Pérsia, ou conselheiros. Eventualmente fossem  astrólogos ou astrônomos, pois, foi observando o céu noturno, que encontraram uma estrela no firmamento que os atraiu especialmente, pelo seu tamanho e pela cauda, que demonstrava que ela estava em movimento, como se os estivesse  convidando a segui-la. Eles a seguiram.  E, de acordo com a tradição, a estrela os guiou  até a região onde Jesus havia acabado de nascer.
Durante o percurso, chegando em Jerusalém na Judeia, os Magos, sabendo que se tratava do nascimento de um rei, baseados nas profecias, foram ao palácio do rei local, o cruel Herodes, e perguntaram a ele sobre a criança.
Herodes disse nada saber. Entretanto,  alarmou-se e se sentiu ameaçado. Pediu então aos Magos que, se o encontrassem, o informassem onde Jesus estava, pois iria adorá-lo também. Naturalmente, essa afirmação era falsa, pois, para evitar competição, proteger o seu reinado, tinha na verdade a intenção de eliminá-lo. Mas, essa, já é uma outra história...
Considerando a distância que tiveram que percorrer, os magos, sempre precedidos da estrela que os guiava,  chegaram ao local onde estava o menino, algum tempo depois do seu nascimento. Lá, lhe entregaram os presentes que haviam trazido. Embora Mateus não tenha especificado o número dos Reis Magos, ficou convencionado que seriam três porque, segundo consta, foram três os presentes trazidos.
Esses presentes (ouro, incenso e mirra) têm um significado e simbolismo espiritual e é, juntamente com a própria visitação dos magos, um resumo do evangelho e da fé cristã.
  • Ouro pode representar a realeza (além da providência divina para sua futura fuga ao Egito, quando Herodes mandaria matar todos os meninos até dois anos de idade de Belém).
  • Incenso pode representar a fé, pois o incenso é usado nos templos para simbolizar a oração que chega a Deus assim como a fumaça sobe ao céu (Salmos 141:2).
  • Mirra, resina antisséptica usada em embalsamamentos desde o Egito antigo, nos remete ao gênero da morte de Jesus, o martírio, sendo que um composto de mirra e aloés foi usado no embalsamamento de Jesus (João 19:39-40), afirmação confirmada pelas análises feitas no Sudário de Turim.

Assim, a tradição cristã estabeleceu que a visitação dos Magos ao menino Jesus, ocorreu no dia 6 de janeiro, data essa que passou a ser conhecida como sendo o ‘Dia de Reis’.

(JA, 06-Jan15)


Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,