Pular para o conteúdo principal

Mundo Iluminado

  

Há alguns anos fiquei preso em um ônibus cruzando a cidade de Nova York durante a hora do rush. 

O tráfego mal estava se movendo. 

O ônibus estava cheio de pessoas frias e cansadas, que estavam profundamente irritadas umas com as outras, com o próprio mundo. 

Dois homens latiram um para o outro sobre um empurrão que pode ou não ter sido intencional. 

Uma mulher grávida subiu e ninguém lhe ofereceu um assento.  A raiva estava no ar; nenhuma misericórdia seria encontrada ali.

Mas, quando o ônibus se aproximou da Sétima Avenida, o motorista pegou o interfone:

'Gente', disse ele, ‘Eu sei que vocês tiveram um dia difícil, e estão frustrados.  Não posso fazer nada sobre o clima ou o trânsito, mas aqui está o que posso fazer.  Quando cada um de vocês descer do ônibus, estenderei minha mão para vocês.  Enquanto você passar, coloque seus problemas na palma da minha mão, certo?  Não leve seus problemas para casa, para suas famílias esta noite; apenas deixe-os comigo.  Meu caminho passa direto pelo rio Hudson e, quando eu passar por lá mais tarde, abrirei a janela e jogarei seus problemas na água’.

Foi como se um feitiço tivesse se dissipado. 

Todos começaram a rir. 

Os rostos brilharam de surpresa e deleite.  Pessoas que vinham fingindo na última hora não perceberem a existência um do outro, de repente estavam sorrindo um para o outro:

‘Como? Esse homem está falando sério?’

 Sim, ele estava falando sério.

Na próxima parada, conforme prometido, o motorista estendeu a mão com a palma para cima e esperou.  Um por um, todos os passageiros que saíam colocavam suas mãos logo acima da dele, e imitavam o gesto de deixar algo cair em sua palma. 

Algumas pessoas riram enquanto faziam isso, outras choraram. 

O motorista também repetiu o mesmo adorável ritual na próxima parada. 

E na próxima.  Todo o caminho, até o rio.

Vivemos em um mundo difícil, meus amigos. 

Às vezes é extremamente difícil ser um ser humano.  Às vezes você tem um dia ruim. 

Às vezes, você tem um dia ruim que dura vários anos. 

Você luta e falha.  Você perde empregos, dinheiro, amigos, fé e amor. 

Você testemunha eventos horríveis acontecendo no noticiário, e fica com medo e retraído. 

Há momentos em que tudo parece envolto em trevas. 

Você anseia pela luz, mas não sabe onde encontrá-la.

Mas, e se você for luz?

E se você for o próprio agente de iluminação que uma situação escura implora? 

Isso é o que esse motorista de ônibus me ensinou - qualquer um pode ser a luz, a qualquer momento. 

Esse homem não era um sujeito poderoso. 

Ele não era um líder espiritual. 

Ele não era um influenciador experiente em mídia.

Ele era um motorista de ônibus, um dos trabalhadores mais invisíveis da sociedade. 

Mas ele possuía poder real, e o usou lindamente para nosso benefício.

Quando a vida parece especialmente sombria ou quando me sinto particularmente impotente em face dos problemas do mundo, penso nesse homem e me pergunto:

‘O que posso fazer, agora, para ser a luz?’

Claro, eu não posso encerrar pessoalmente todas as guerras, ou resolver o aquecimento global, ou transformar pessoas irritantes em criaturas totalmente diferentes. 

Eu definitivamente não consigo controlar o tráfego. 

Mas eu tenho alguma influência sobre todos que encontro, mesmo que nunca falemos ou aprendamos o nome um do outro.

‘Não importa quem você seja, ou onde esteja, ou quão mundana ou difícil sua situação possa parecer, eu acredito que você pode iluminar o seu mundo.

‘Na verdade, acredito que esta é a única maneira pela qual o mundo será iluminado: um brilhante ato de graça de cada vez.’

 

 

Fonte:  Elizabeth Gilbert

 

(JA, Jan22)

 


Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,