Pular para o conteúdo principal

Para que servem as posturas de ioga






A prática de posturas físicas, chamadas em sânscrito de ‘asanas’, é uma das oito etapas propostas pela ioga para ajudar as pessoas a ampliarem a consciência sobre si mesmas.
Para a ioga, o corpo é um instrumento de autoconhecimento porque, ao darmos atenção aos nossos movimentos e observarmos nossos padrões, físicos e comportamentais, conseguimos entender mais sobre nós mesmos.

Podemos descobrir, por exemplo, que contraímos mais músculos do que precisamos para nos mover e por isso acumulamos tensão em algumas partes do corpo.

Ou podemos perceber uma tendência a sermos excessivamente controladores, algo que dificulta o relaxamento tanto no tapete de ioga como fora dele. A partir daí, determinadas posturas podem ser usadas para criar novos padrões.

A prática regular de ‘asanas’ também ajuda a manter o corpo saudável e a mente equilibrada, o que melhora a disposição física e a capacidade de concentração, funcionando como uma forma de nos prepararmos para a meditação.

No corpo, as posturas nos permitem explorar movimentos que não fazemos no dia a dia, e sem os quais os músculos se tornariam rígidos ou frágeis, com maiores chances de dores e cansaço.

Já na mente, a prática física nos dá oportunidade de tirarmos o foco de preocupações cotidianas, enquanto nos concentramos em cada movimento, com atenção ao momento presente, o que deixa a mente mais tranquila e estável.

Para funcionar, as posturas devem ser praticadas com consciência na respiração, buscando o equilíbrio entre firmeza e conforto, e respeitando as necessidades individuais. Iniciantes devem praticar com o acompanhamento de um professor.

Conheça a seguir algumas posturas de ioga


1. Sukhasana – ‘postura fácil’
É uma das posturas recomendadas para a meditação. Apesar do nome, muitas pessoas têm dificuldade de se sentar no chão com as pernas cruzadas. Sentar sobre uma almofada ajuda nesses casos.


2. Uttanasana – ‘postura do alongamento intenso’
Postura de flexão do tronco para frente. Ajuda a alongar os músculos das costas e da parte posterior das pernas, acalmar a mente e aliviar dores de cabeça. Quem sente dores na região lombar deve dobrar os joelhos para não trazer tensão para as costas.



3. Trikonasana – ‘postura do triângulo’
Uma das clássicas posturas de alongamento lateral do tronco, que também fortalece e alonga os músculos das costas, das pernas e do quadril, ajudando a corrigir desequilíbrios no alinhamento da coluna.


4. Dhanurasana  – ‘postura do arco’
Postura de extensão da coluna, que ajuda a fortalecer os músculos das costas e das pernas, e a aumentar a flexibilidade da região frontal do tronco, promovendo a abertura do peito e ajudando a corrigir problemas posturais, como a corcunda.



5. Vrksasana – ‘postura da árvore’
Postura de equilíbrio, ajuda a desenvolver foco e concentração, além de alongar a coluna. É feita com um pé apoiado na parte interna da outra perna. A altura do apoio pode variar, mas não se recomenda apoiar o pé no joelho.




Fonte:   Patrícia Britto   |   FSP



(JA, Jan19)

Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,