Pular para o conteúdo principal

Arte da Pintura - Andre Kohn


Andre Kohn  é hoje um dos pintores figurativos mais reconhecidos na cena de arte americana. Ele é o resultado da convergência de três forças combinadas: cultura, meio ambiente e talento.
Criado em uma família que morava perto do mar Cáspio, no sul da Rússia, a infância de Andre Kohn foi marcada pela beleza natural das montanhas e do mar, e por um acesso irrestrito a todas as artes criativas.
Sua mãe era uma violinista e seu pai um linguista, escritor e escultor. Ambos eram educadores formados em psicologia, e deram oportunidade irrestrita ao único filho para explorar as profundezas de arte, e seu próprio talento que era óbvio desde pequeno. Pinturas, esculturas e livros enchiam a pequena a casa da família. Foi uma infância sem posses materiais, mas uma que lhe ensinou que as artes criativas constituem a única riqueza verdadeira.
 Os pais de Kohn também incentivaram o filho a desenhar em qualquer superfície, incluindo o papel de parede em sua casa que, quando ficou velho, foi adaptado para servir como rascunho de seus desenhos. Sua memória da infância é que a música e a arte estavam por toda parte.
Embora sempre inovador em desenho e pintura, a educação artística profissional de Kohn começou aos 15 anos, quando ele foi escolhido para ser aprendiz num estúdio dirigido por um dos  mais conceituados artistas impressionistas de Moscou. Naquela época, o impressionismo estava chegando ao fim de um século, um período prodigioso e prolífico na arte russa que, literalmente, mudou o mundo.  A educação artística de Kohn coincidiu com uma erupção de progresso cultural em todas as artes, incluindo ballet, literatura, música e pintura.
Ele foi influenciado, principalmente, por artistas que, como ele, seguiram os estágios da educação artística na clássica na Universidade de Moscou. Lá estudou com os membros da última grande geração de impressionistas russos. Com o seu talento, então já em evidente, ele oportunamente ganhou um convite da União dos Artistas da Bulgária (Europa) para expor suas obras, em uma sala exclusiva, numa das principais exposições do país.  Kohn foi o único estudante que, ainda no primeiro ano da faculdade, teve esse privilégio.
Ele lembra com carinho da majestade da Universidade. "A experiência foi totalmente original", ele disse. "A atmosfera criada pelas enormes colunas, pisos de mármore e obras-primas nas paredes. Lendas do mundo da arte russa caminhando pelos corredores falando sobre o seus trabalhos. Foi um privilégio estar lá, e lançou as bases para toda a minha carreira."
No entanto, o destino redirecionou rápida e dramaticamente a vida e a arte do jovem artista. Seu pai, um coronel do exército russo, foi o primeiro candidato a participar do programa de intercâmbio oficial pós-Guerra Fria na Escola de Guerra Aérea dos Estados Unidos em Montgomery, Alabama. Em 1993, enquanto Kohn estava na América para visitar a família, seu pai anunciou sua intenção de desertar para os Estados Unidos. De repente, o jovem artista percebeu que a ele nunca mais seria permitido voltar à sua terra natal.
Demorou pouco tempo para que o público de arte americano descobrisse um estilo exclusivo, maduro, figurativo, na pintura do jovem russo. Sua primeira exposição individual na América criou um interesse imediato pelo seu trabalho, e ajudou a introduzir Kohn para o público do seu país de adoção.

Kohn continua a ser um líder proeminente do figurativo Impressionismo. Ele capta a complexidade da forma humana, com  simplicidade e objetividade. "Estou buscando dentro de mim dar a única interpretação, a poética do momento", diz ele. "Eu estou lutando para encontrar o extraordinário no ordinário".
O estilo de Koln é pessoal, sua interpretação da forma é único, e provoca um sentimento duradouro naqueles que têm oportunidade de observar seu trabalho.
De sua casa no Arizona, Kohn viaja pelo mundo em busca de inspiração e, periodicamente, volta para a França para continuar seus estudos clássicos da forma humana.
O trabalho de Kohn é representado por galerias de primeira linha nos Estados Unidos e ele é um colaborador regular de exposições, para as quais frequentemente é convidado. Kohn é altamente considerado no mundo da arte, e é um assunto frequente nas publicações que tratam do assunto. Devido à sua capacidade única de compor a expressividade da forma humana, suas obras estão presentes de forma destacada em coleções particulares, de empresas, e de museus, em todo o mundo. 

Abaixo uma pequena amostra de seus quadros, compondo quase que um história ue poderia ser chamada de ‘A arte do Encontro’
(JA, Jun16)

Base: © 2015 Copyright 2010 www.AndreKohn.com is proudly powered by WordPress






Postagens mais visitadas deste blog

Grabovoi - O Poder dos Números

O Método Grabovoi  foi criado pelo cientista russo Grigori Grabovoi, após anos de estudos e pesquisas, sobre números e sua influência no nosso cérebro. Grigori descobriu que os números criam frequências que podem atuar em diversas áreas, desde sobrepeso até falta de concentração, tratamento para doenças, dedicação, e situações como perda de dinheiro. Os números atuam como uma ‘Código de desbloqueio’ dentro do nosso inconsciente, criando frequências vibratórias que atuam diretamente na área afetada e permitindo que o fluxo de informações flua livremente no nosso cérebro. Como funciona? As sequências são formadas por números que reúnem significados. As sequências podem ter  1, 7, 16, ou até 25 algarismos, e quanto mais números, mais específica é a ação da sequência. Os números devem ser lidos separadamente, por exemplo: 345682 Três, quatro, cinco, seis (sempre o número seis, não ‘meia’), oito, dois. Como praticar Você deve escolher uma das sequencias num

Thoth

Deus da lua, juiz dos mortos e deus do conhecimento e da escrita, Thoth (também Toth, ou Tot, cujo nome em egípcio é Djehuty) é um deus egípcio, representado com cabeça de íbis. É o deus do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Filho mais velho do deus do sol Rá, ou em alguns mitos nascido da cabeça de Set, era representado como um homem com a cabeça da ave íbis ou de um babuíno, seus animais sagrados.   Sendo o deus associado com o conhecimento secreto, Thoth ajudou no sepultamento de Osíris criando a primeira múmia. Era também o deus das palavras, da língua e posteriormente os gregos viam este deus egípcio como a fonte de toda a ciência, humana e divina, do Egito. O culto de Thoth situava-se na cidade de Khemenou, também referida pelos gregos como Hermópolis Magna, e agora conhecida pelo nome árabe Al Ashmunin. Inventor da escrita Segundo a tradição, transmitida também por Platão no diálogo Fedro, Thoth inventou a escrita egípc

Por que Jesus dobrou o lenço?

‘E que o lenço, que estivera sobre a cabeça de Jesus, não estava com os panos, mas enrolado num lugar à parte’.(João 20:7) Por que Jesus dobrou o lenço que cobria sua cabeça no sepulcro depois de sua ressurreição? Você já deteve sua atenção a esse detalhe? João 20:7 nos conta que aquele lenço que foi colocado sobre a face de Jesus não foi apenas deixado de lado como os lençóis no túmulo. A Bíblia reserva um versículo inteiro para nos contar que o lenço fora dobrado cuidadosamente e colocado na cabeceira do túmulo de pedra. Bem cedo pela manhã de domingo, Maria Madalena veio à tumba e descobriu que a pedra havia sido removida da entrada. Ela correu e encontrou Simão Pedro e outro discípulo, aquele que Jesus tanto amara. Disse ela: ‘Eles tiraram o corpo do Senhor e eu não sei para onde eles o levaram’. Pedro e o outro discípulo correram ao túmulo para ver. O outro discípulo passou à frente de Pedro e lá primeiro chegou. Ele parou e observou os lençóis lá,